Polícia deve entrar no Big Brother para ouvir participante sobre homicídio

Foto: TV Globo.

O Big Brother Brasil mal começou e já tem sua primeira
polêmica. O participante Luan Patrício, de 23 anos, que é ex-militar,
contou durante o programa que matou uma pessoa durante operação de
ocupação no Complexo do Morro do Alemão, no Rio de Janeiro, em 2010.

Uma equipe de policiais civis da Divisão
de Homicídios do Rio de Janeiro irá ao Projac nos próximos dias para
ouvi-lo a respeito, uma vez que o Exército Brasileiro garante que não
houve mortes durante a operação citada pelo carioca. A informação foi
divulgada pelo colunista Lauro Jardim, da revista Veja.

Segundo
a nota, o Exército negou que tenha havido qualquer morte em confronto
com esta unidade e o delegado Rivaldo Barbosa quer ouvir detalhes da
história de Luan.

Entenda o casoNa última terça-feira (20), em sua primeira noite no Big brother,
Luan deu detalhes do caso para o colega Marco Marcon. Durante a
conversa, o ‘brother’ disse que atirou em um jovem que estava armado e o
matou. “A primeira vez que eu matei alguém no Complexo do Alemão, eu
balancei”, disse o concorrente, que atualmente trabalha como gerente de
um salão de cabeleireiros. “Eu fiquei na linha de tiro, de rifle,
dando cobertura para quem estava seguindo. Acho que ele era mais novo
do que eu. Eu estava com 19, ele devia estar com 16”, afirmou.

Luan
imitou o som de tiro e fez gesto com o dedo indicador para a testa:
“Rasgou a cabeça dele e a caixa d’água”, explicou. “Na hora eu tremi. O
sargento olhou para mim e disse: ou era você ou ele”. Depois, contou
que deixou o Exército para cuidar da saúde da mãe, que estava doente.
 
Do Diário de PE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *