Fraude teria causado prejuízo de mais de R$ 12 milhões à Previdência

Foto: TV ASA BRANCA

Doze suspeitos de fraudar a Previdência Social com documentos falsos foram presos nesta quinta-feira (30) durante a Operação Omni, que apreendeu ainda pertences de luxo, como veículos. As investigações começaram em 2010, a partir da denúncia sobre uma mulher que teria sacado dinheiro com documento falso. A operação é considerada a maior contra crimes previdenciários neste ano, segundo a Polícia Federal em Pernambuco (PF-PE). Estima-se que o grupo “gerava um prejuízo mensal à Previdência em torno de R$ 200 mil. Até o momento, os valores já ultrapassam os R$ 12 milhões”, informa a assessoria de imprensa da corporação.
O suspeito de comandar o crime é um empresário de Caruaru. Também estariam envolvidos três servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), um advogado e dois contadores, além de dois funcionários da Prefeitura de Canhotinho, que teriam sido cedidos para a agência do INSS deste município. A PF-PE informou que R$ 300 mil foram impedidos de serem sacados por criminosos. “Foi identificado um esquema de lavagem de dinheiro através de uma rede de postos de combustíveis, que ficarão sob a intervenção da Justiça até a integral reparação aos cofres públicos”.Ao ABTV 1ª Edição, Marcelo Ávila, representante do Ministério da Previdência Social, informou como o grupo trabalhava. “Os integrantes falsificam a documentação, as carteiras de identidade e os registros civis, inseriam informações inverídicas no sistema da Previdência Social e, por meio da participação de servidores, conseguiam a obtenção dos benefícios. E a maior parte dos benefícios eram pensões por morte”.

Mandados judiciais
O cumprimento de mandados judiciais ocorreu nesta quinta-feira (30) em Caruaru, Garanhuns,Canhotinho, Bezerros, São Caetano, Tamandaré e Recife, em Pernambuco, além de Macéio, capital de Alagoas, e Tibau do Sul, no Rio Grande do Norte. Duas mulheres ficarão na Colônia Penal Feminina do Bom Pastor, no Recife, e os demais na Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru.
Ao todo, segundo a assessoria da PF-PE, a operação visou a dar cumprimento a 51 mandados judiciais. Desses, seis eram de prisão preventiva, sete de prisão temporária e 38 de busca e apreensão. A Operação Omni continuará internamente com uma força tarefa da Polícia Federal, Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal.
Do G1 Caruaru

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *