REFORMA OU ESTELIONATO POLÍTICO?

Iniciamos hoje a coluna Ética e Política aqui no blog do Jônata Daniel, com o objetivo de fazer uma crítica análise de todas as questões que dizem respeito às questões éticas, políticas e do cotidiano da nossa região, estado e também do país, e na coluna de abertura apresentaremos um texto voltado à reforma política que está tramitando no Congresso Nacional.

Em meio a discussão na Câmara dos Deputados da reforma política a nação acompanha atônita o disparate dos parlamentares, com um único objetivo: engabelar o país para se manterem a todo custo no poder.

Ainda que não haja consenso para votação dos dois itens mais importantes e polêmicos da tal reforma, causa espécie a clara tentativa de se manter no poder, por parte dos que deveriam representar os interesses do povo, que afirmam categoricamente que é preciso que as campanhas políticas, segundo eles muito caras, devam ter o financiamento custeado pelos cofres públicos, ou seja, os cidadãos.

Um dos temas que está sendo discutido é o famigerado “Distritão”, apenas utilizado como sistema eleitoral em 4 países do mundo, inclusive o Afeganistão, todos sem qualquer expressão democrática, muito pelo contrário, conhecidos por serem democracias frágeis. Nesse sistema político-eleitoral compreende-se cada estado como um grande distrito, onde apenas os mais votados são eleitos entre todas as cidades do Estado, acarretando que as cidades maiores, principalmente as capitais, tendem a emplacar a maioria esmagadora dos representantes da Câmara dos Deputados e Assembleias Legislativas, bem assim os candidatos que já estão no poder sejam privilegiados.

O outro tema é ainda mais escabroso: o fundo para custear as campanhas eleitorais, o denominado: “fundão”, com validade também para as eleições de 2018, no valor estimado de mais de 3,6 bilhões de reais. Se as campanhas já são caras no atual sistema eleitoral, imagine com essa nova regra.

Percebe-se que temos um congresso nacional totalmente desatrelado da opinião pública, numa total demonstração de que está pouco se lixando com o que pensam os eleitores da nação, pois manobram todas as estratégias possíveis para se manter no poder, com a finalidade de ludibriar mais uma vez o cidadão, que está de “saco cheio” de toda a corrupção, protagonizada por boa parte desses congressistas, exposta diariamente no noticiário nacional.

Alertamos para que o cidadão possa estar atento e fiscalizando tudo que ocorre atualmente em Brasília, e que a imprensa possa noticiar todas as formas usadas por esses componentes do parlamento, que usam de todos os subterfúgios, com a finalidade clara de realizar, não uma reforma, mas sim um estelionato político.

    Fica a reflexão. Esteja atento à próxima edição da coluna Ética e Política, que será divulgada todas as quintas-feiras, aqui nesse instrumento de comunicação. Você pode dar sugestão de temas, fazer críticas e elogios através do e-mail: ericklessa04@gmail.com.

Erick Lessa

Erick Lessa, delegado de polícia civil de Pernambuco, especialista em segurança pública e cidadania (ministério da justiça/Asces-Unita); Consultor técnico da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *